Anuncio
Sarampo

Sesapi monitora caso importado de sarampo

Criança piauiense viajou para São Paulo e retornou com os sintomas da doença.

06/08/2019 17h11
Por: Redacao
Fonte: CCOM
264
Fotos Gratuitas Pixabay
Fotos Gratuitas Pixabay

Membros da área técnica da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) tomaram conhecimento, nesta terça-feira (6), de um caso de sarampo no município de Campo Grande do Piauí, na região Sudeste do estado, cuojs exames indicaram uma infecção recente. No entanto, o caso não é próprio do estado, uma vez que a criança de um ano de idade foi infectada pelo vírus durante a sua estadia no estado de São Paulo.

Segundo pesquisa da Sesapi, a criança e sua mãe teriam retornado de São Paulo e, ao chegarem no município de Campo Grande, onde residem, a criança teria começado a apresentar os sintomas da doença, com um quadro de febre, tosse e coriza. A criança foi levada para a Unidade Mista daquele município e então encaminhada para o Hospital Regional de Picos. Após a realização dos exames, foi comprovada uma infecção recente pelo vírus.

Amélia Costa, coordenadora de epidemiologia da Sesapi, explica que este é o 5° caso suspeito de sarampo mas o primeiro confirmado. No entanto, a especialista chama a atenção para o fato de o caso ser importado, pois a infecção não aconteceu no Piauí e sim em São Paulo, proveniente do vírus que atualmente circula na Venezuela. “Além de a criança já retornar para o Piauí tendo sido infectada pelo vírus em São Paulo, ela também não foi imunizada. Nós tomamos ciência da situação através do hospital de Picos e a Sesapi já tomou as medidas de fiscalização e acompanhamentos necessário do caso, fazendo o bloqueio de todas as áreas onde a criança transitou no estado”, fala Amélia. Bloqueio se refere ao fato de promover a vacinação em todos os locais onde a criança esteve presente, a fim de evitar o surgimento de novos casos.   

“As ações de controle já foram todas executadas. É preciso reforçar ainda que não existe a necessidade de uma vacinação em massa. A vacina é, sim, importante para o grupo de risco e pessoas que vão viajar para localidades onde existem casos confirmados, mas não existe uma necessidade de urgência para todos se vacinarem”, reforça a coordenadora.

Vacinação

A vacinação é realizada com a vacina Tríplice Viral e o Piauí recebeu do Ministério da Saúde vacinas suficientes para atender sua população. Caso a pessoa queira, ela pode buscar a unidade de saúde com seu cartão de vacinação em mãos, ela será avaliada e caso necessário receberá a imunização.

É precisa chamar atenção ainda que, para os pais que estão vacinando suas crianças pela primeira vez, é preciso cumprir o calendário e aplicar a segunda dose da vacina, para garantir a imunização completa contra a doença. A indicação é que a Vacinação em bebês aconteça aos 12 meses, e aos 15 meses aconteça a aplicação da segunda dose da vacina.

“As pessoas não estão buscando a 2° dose da vacina, precisamos mudar isso, para evitar que ocorra casos de infecção dentro do estado”, destaca Amélia Costa.

Autoria: Ascom Sesapi
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários