Anuncio
Fiscalização

Fiscais ambientais da Semar interceptam cargas de madeira extraída ilegalmente

As duas cargas tem valor estimado em 22 mil reais com danos ambientais equivalentes a uma área de 5 campos de futebol.

03/06/2019 10h26
Por: Redacao
Fonte: CCOM
238
Madeira apreendida por fiscais da Semar (Ascom Semar)
Madeira apreendida por fiscais da Semar (Ascom Semar)

Fiscais ambientais da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), com o apoio da Polícia Militar do Piauí, apreendeu, no sábado (1º), duas cargas de madeira no município de Caraúbas do Piauí, localizado a 275 km de Teresina.

 

A madeira sabiá (mimosa caesalpiniaefolia) estava sendo extraída do município de Esperantina e ia ser levada para o município de Feira de Santana, na Bahia.

 

Os caminhoneiros foram conduzidos à Polícia Federal para prestarem depoimento, pois estavam com o Documento de Origem Florestal (DOF) do Ceará, ou seja, a autorização era para que a madeira saísse do Ceará para Feira de Santana na Bahia.

 

“Os caminhoneiros carregaram o caminhão no Piauí e tentaram sair com esse DOF do Ceará para Feira de Santana. Mas nós, da fiscalização, interceptamos os caminhões antes deles saírem do estado”, explica Renato Nogueira, gerente de Fiscalização da Semar.

 

Os veículos e as madeiras apreendidas serão descarregados nesta segunda-feira (3), a partir das 8h30, no Parque de Exposições.

 

Autoria: Maria Carvalho

 

  • Fiscais ambientais da Semar interceptam cargas de madeira extraída ilegalmente
  • Fiscais ambientais da Semar interceptam cargas de madeira extraída ilegalmente
  • Fiscais ambientais da Semar interceptam cargas de madeira extraída ilegalmente
  • Fiscais ambientais da Semar interceptam cargas de madeira extraída ilegalmente
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários