Quarta, 12 de dezembro de 2018
86 98101 7855
Economia

10/10/2018 ás 17h07

107

Redacao

Piracuruca / PI

Estado do Piauí economiza R$ 65 milhões por atuação preventiva da CGE
Processos de licitações e prorrogações de contratos analisados pela CGE somaram R$ 790 milhões, de janeiro a setembro.
Estado do Piauí economiza R$ 65 milhões por atuação preventiva da CGE
Reprodução

De janeiro a setembro deste ano, a Controladoria-Geral do Estado (CGE/PI), por meio do Núcleo Setorial que atua junto à Secretaria de Administração e Previdência (Seadprev), analisou processos que resultaram em uma economia de R$ 65 milhões ao Estado em licitações e prorrogações de contratos, de um volume total de R$ 790 milhões. Licitação corresponde a aproximadamente 10% do quantitativo de processos analisados e a 93% da economia produzida.

O Núcleo da CGE na Seadprev é responsável por realizar análise crítica das pesquisas de preços de mercado, tanto na fase interna do procedimento licitatório, realizando atividades de apuração do valor estimado/referência, bem como durante a fase da execução contratual, no qual se analisa a vantajosidade da prorrogação contratual, na forma da lei. 

O auditor governamental Lúcio Demes, responsável pelo Núcleo Setorial da CGE na Seadprev, explica que a CGE tem atuado cada vez mais preventivamente, de modo a evitar falhas e garantir a economicidade. “O trabalho preventivo é mais efetivo, haja vista ser possível evitar a ocorrência de dano ao erário público e, consequentemente, otimização dos recursos disponíveis”, disse ao acrescentar que o trabalho também ajuda a evitar o desperdício dos recursos públicos disponíveis.

O controlador-geral do Estado, Nuno Bernardes, ressalta que é diretriz da CGE atuar preventivamente, orientando gestores na tomada de decisão. “A CGE tem como principal diretriz atuar na prevenção evitando que as falhas aconteçam e uma vez detectadas, que as mesmas sejam corrigidas. Importante ressaltar a parceria com os órgãos estaduais envolvidos no tema em questão, especialmente a Seadprev que sempre demanda a Controladoria; a Procuradoria- Geral do Estado, órgão que faz a análise jurídica dos certames licitatórios; e a Sefaz, que tem como uma das funções, observar as manifestações da Controladoria, antes de efetuar os empenhos e pagamentos”, considerou.

 

Autoria: Virgínia Santos

 

FONTE: CCOM

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium