ESTADO DO PIAUI
Galeria de fotos
Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
22/03/2019 13h09
Por: Redacao
9

O documento lançado nesta sexta (22) compreende estratégias planejadas para os anos de 2019 a 2023.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR) lançou, nesta sexta-feira (22), o Plano Estadual de Desenvolvimento da Aquicultura do Piauí 2019-2023, que é um documento elaborado e resultante da parceria da SDR com a Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) que disponibilizou, por meio de edital, um consultor da Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO), que atuou junto à SDR e instituições parceiras, por meio de um levantamento detalhado sobre as necessidades, planejamentos, estruturas e ações voltadas para maior consolidação e êxito da atividade no Piauí nos próximos anos.

 

Estavam presentes à solenidade, Merlong Solano; o deputado estadual Francisco Limma; o secretário adjunto do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Crescêncio; o consultor da FAO Felipe Matias; além de representantes e diretores dos diversos órgãos do Piauí, prefeitos e sindicatos.

 

O documento para ser elaborado contou com o apoio da Câmara Setorial de Piscicultura, além de órgãos parceiros como Emater, Adapi, Sebrae, UFPI, Uespi, IFPI, Embrapa, Codevasf, STTRS, prefeituras. A realização foi da FAO, por meio da consultoria do engenheiro de Pesca Felipe Matias, além do apoio de recursos da Secretaria de Aquicultura e Pesca no valor de R$ 120 mil reais.

 

A base inicial para montagem desse plano foi obtida por meio das informações dos estudos de macrozoneamento e diagnóstico realizados no ano de 2016 pelo Projeto Pacu, em parceria com a SDR, além de diagnóstico regional (territorial) realizado pela SDR e consultor da FAO, por meio de seis oficinas realizadas em seis territórios de representação na atividade, para montagem de um diagnóstico territorial.

 

O lançamento ocorreu na reunião da Câmara Setorial de Piscicultura, que tratou sobre o lançamento do plano, sobre unidade básica de processamento de pescado e a apresentação de linhas e módulos de financiamento de crédito para energia fotovoltaica aos produtores interessados.

 

Luciano Sousa, diretor de Aquicultura e Pesca da SDR, destaca o foco principal do lançamento do plano que é a organização geral da atividade. "O plano vem com o foco de trazer ainda mais organização para a cadeia produtiva da aquicultura. Hoje, o Piauí é um grande produtor, sendo o terceiro maior produtor de pescados do nordeste e o 14º produtor nacional em 2017, segundo dados da Peixe BR. Então, agora, o próximo passo é ampliar a organização, por meio, principalmente, do plano que preenche essa necessidade, buscando desenvolver e criar resolutividades nos gargalos produtivos que a cadeia possui‘’, disse Sousa

 

Antônio José Pereira, que é secretário interino da SDR, ressaltou que o plano é resultado de uma excelente parceria. "É preciso ressaltar o quão importante foi a parceria da FAO, da Secretaria de Aquicultura e Pesca e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para a realização desse plano que vem somar para a atividade produtiva aqui no Piauí, dentro do olhar da criação de estruturas de benefícios para os produtores, ampliando produção, melhorando comercialização e reorganizar toda a cadeia produtiva’’ , ressaltou o gestor.

 

O consultor da FAO Felipe Matias, destacou que a construção e entrega desse plano é uma grande conquista para o Piauí. "A elaboração do plano teve origem ainda por uma demanda do então secretário Francisco Limma, que pediu apoio do governo federal para desenvolvimento da aquicultura no Piauí, e que foi um trabalho continuado pela atual secretária Patrícia Vasconcelos. Assim, realizamos diagnósticos territoriais analisando as oportunidades, dificuldades e demandas, e construímos, a partir disso, o plano. Fico muito feliz em ter participado da construção desse plano e, para mim, isso se traduz em uma visão clara que o Governo do Estado querer operacionalizar este plano, buscando melhorias na atividade produtiva, gerando renda e segurança alimentar para os piauienses. Plano moderno, com melhores metodologias e que é um grande exemplo que o Piauí dá para outros estados com esse tipo de política pública voltada para aquicultura", finalisou Matias.

 

Produção

 

Segundo o IBGE, a produção de peixe cultivado no Piauí foi de 7.700 toneladas, estimando um crescimento de 10% ao ano da produção, que pode chegar a 16.000 toneladas no ano de 2023. Um outro dado é que, de acordo com a Associação Brasileira de Piscicultura, a atividade foi responsável por produzir 18.000 toneladas em 2017 (Peixe BR, 2018) e pelo mesmo critério (crescimento médio de 10% ao ano), esta produção poderia chegar a 32.000 toneladas no ano de 2023 e a produção de camarão poderia chegar a 5.000 toneladas no ano de 2023, segundo a produção de 2017 citada pelo IBGE.

 

Autoria: Diego Barlo

 

  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
  • Plano vai promover a organização da cadeia produtiva da aquicultura no estado
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários